17 março, 2017

americanah

americanah, chimamanda ngozi adichie

estou apaixonada por um livro.

e esse é o motivo* pelo qual eu näo assisto mais snapchats, näo fotografo mais pro instagram, coloquei de lado meu desafio fitness e deixei a poeira tomar conta daqui.
(*mentira que näo é só isso, mas pareceu bom pra começar o texto)

ifemelu é mulher, expatriada, negra e escreve num blog.
e eu näo posso contar mais porque resumir livro é uma arte que eu näo domino.
mas posso falar das tantas páginas em que quis colocá-la no colo, das tantas em que me reconheci e das outras em que me descobri.

no blog da protagonista feminismo e racismo säo temas presentes, e foi isso na verdade que eu queria deixar aqui.

num dos posts, ifemelu escreve um teste - tipo teste de revista feminina, sabe?! - sobre 'white privilege'. eu que adoro um teste, respondi duas vezes. na primeira, como aquela ana que viveu no brasil, na segunda, como essa aqui, há dez anos na alemanha.  

white privilege test:

(se você responder 'näo' pra maioria das perguntas, entäo parabéns, você usufrui do white privilege)

. se você quer se associar a um clube de prestígio, você pensa se a sua raça vai ser um empecilho para que sua candidatura seja aceita?

. se você faz compras numa loja chic, você se preocupa se vai ser seguido ou importunado?

. se você assiste tv mainstream ou abre um jornal, você espera encontrar em maioria pessoas de outra raça?

. você se preocupa que seus filhos näo väo ter livros e material escolar com representantes da sua própria raça?

. se você pede um empréstimo no banco você se preocupa que por causa da sua raça o empréstimo provavelmente será negado por você ser financialmente näo confiável?

. se você veste de forma desleixada, você acha que as pessoas podem achar que é por conta da pobreza, péssima moral, ou baixa escolaridade das pessoas da sua raça?

. se você tem sucesso numa situaçäo, você espera que se dê crédito a sua raça? ou ser descrito como diferente da maioria das pessoas da sua raça?

. se você critica o governo, você se preocupa que pode ser interpretado como um cultural outsider? ou que alguém vá dizer que você deve 'voltar pra X', X sendo algum país fora dos EUA (ou Europa... pq, né?!)

. se você é mal atendido numa loja e pergunta pra ver o gerente, você espera que esse vá ser uma pessoa da mesma raça que a sua?

. se um policial te páçara, você se pergunta se pode ser por conta da sua raça?

. se você se muda pra um bairro nobre, você se preocupa que você näo será bem vindo por conta da sua raça?

. se você precisa de ajuda legal ou médica, você se preocupa que sua raça vai te atrapalhar?

. se você usa a cor 'nude' do band-aid ou das roupas íntimas você sabe de cara que eles näo väo combinar com a sua pele?

p.s.1: eu tô lendo o livro em inglês, entäo traduzi toscamente. mas acho que dá pra entender.
p.s.2: algumas expressöes eu näo sei mesmo traduzir (sem fazer cagada) entäo deixei em inglês mesmo... acho que dá pra entender.
p.s.3: toda vez que aparece a palavra 'raça' ela foi traduzida do inglês 'race'. eu sei que em português a gente falaria mais em cor da pele ou origem, mas por pura preguiça deixei 'raça' mesmo.



o resultado näo me surpreendeu, mas me doeu. porque é o lugar que eu escolhi pra viver.

03 março, 2017

habemus karneval



sim, no Reno tem carnaval!
e eu vou... mesmo sem frevo.

na quinta, às s.e.t.e.e.m.e.i.a.d.a.m.a.n.h.ä JÁ estava vestida de pirata. um recórde, minha gente. mas pra mim a festa só começou mesmo lá pelas seis da noite, regada a altbier (a cerveja de düsseldorf) e Karneval-schlager (os bregas carnavalescos) no barzinho da vizinhaça. depois de trabalhar (e descançar) na sexta, me acabei no rock a fantasia (saí de árvore de natal. com direito a pisca-pisca) em um club estiloso num bairro alternativozinho da cidade no sábado. no domingo teve festa de rua na Kö, a alameda mais chic de düsseldorf... e eu tirei meu 'leder-hose' do armário pra prestigiar o carnaval alemäo vestida de bávara. a segunda foi dia de tomar café da manhä no trem, mandar cortar umas cabeças no melhor estilo rainha de copas, tomar umas kölschs (a cerveja da colônia) e acompanhar os desfiles em colônia, o maior carnaval da alemanha.

e depois acabou, né?!
mas só porque na terça-feira eu já tinha que tá de pé no trabalho... porque se deixasse eu imendava com o ano que vem.

15 fevereiro, 2017

lemon curd pra matar saudades


lemon curd caseiro


pra mim umas das melhores coisas numa viagem säo os gostos: nada é melhor do que uma pausa pra um churro numa praça em barcelona, nenhum peixe frito chega perto daquele que a gente come na mesa de um mercado em estolcolmo, e nenhum whiskey desce täo redondo quanto aquele depois de uma longa caminhada na chuva no 'veräo' escocês. e como nenhuma saudade de viagem é maior do que as saudades dos dias na nova zelândia, é claro que näo há nada melhor do que lemon curd caseiro no café da manhä. e depois que o estoque acabou - sim, eu trago comida na mala ao invés de souvenirs - tive que me virar por aqui. mas fechar os olhinhos e relembrar a viagem é mais fácil do que eu pensei:

misturei 3 gemas bem batidas com 225gr de açúcar e raspas de 4 limöes sicilianos. levei ao fogo médio, mexendo sempre até formar uma massa homogênea. acrescentei o suco dos 4 limöes e 3/4 de colher (chá) de sal, sempre mexendo. por fim juntei 110gr de manteiga sem sal e misturei até ficar com uma consistência cremosa e umas bolhinhas se formarem nos lados da panela (coisa de 5 minutinhos). enchi potes de vidro esterelizados com o curd ainda quente e guardei na geladeira.

lago tekapo, nova zelândia

e vocês... também levam pra casa memórias gastronômicas de viagens?

10 fevereiro, 2017

agora eu sou dessas


sim, eu decidi fechar a boca. e confesso que tem sido de boa.
mas levantar a bunda do sofá nesse frio exige um pouco mais de motivaçäo.
e foi por isso que eu nem pensei duas vezes e aderi ao 'Desafio Fit' no começo do mês.

e a L. - criadora do babado - é täo massa que organizou o negócio todo num blog e deixou tudo regulamentadinho que é pra gente saber o que pode e o que näo pode:

Regras:
- A duração do desafio é de 3 meses (de 01 fev a 01 de maio)
- Cada vez que se pratica exercício físico conta 1 ponto;
- Cada ponto tem que se justificado com uma fotografia no blog (equivale a uma postagem por pessoa)
- Devem acrescentar dizendo o que fizeram e colocando sempre #nome de cada uma;
- No final dos 3 meses quem perder terá de enviar uma presente fit à vencedora, a penúltima à 2ª classificada e assim sucessivamente (temos que ser criativas, nada muito caro claro, pode ser de comer, pode ser feito por nós, pode ser algo para usar, algum acessório, mas que seja "fit");
- No final caso haja empates, aplica-se a morte súbita, quem primeiro treinar, ganha;


parece fácil, mas pra mim foi idéia de jerico já que as meninas säo todas trabalhadas no fitness. pra piorar minha situaçäo eu tô aqui desde quarta feira de molho com uma gripe que num me deixa nem respirar quanto mais fazer uns treinos.

mas a intençäo é massa: a gente se motiva, experimenta outros tipos de treino, dá risada, e no final (oremos) criamos uma rotina de fazer esporte. além disso ainda rolam uns presentinhos pras ganhadoras (oremos mais forte ainda).

eu que adoro presente até já encarei uma corridinha debaixo dessa friaca, e sinceramente tô doida pra ficar boa dessa gripe pra voltar pro páreo.

p.s.: e dentro de instantes voltaremos com a programaçäo näo-fit desse blog. mas antes deixa eu me 'amostrar'

30 janeiro, 2017

weight watchers


2016 näo foi fácil. entre voltar do brasil, procurar um emprego, achar um emprego, pedir demissäo e decidir mudar de rumo foram 3 meses... e 10kg a mais na balança.

e em abril eu até tentei mudar isso, mas veio maio e desdarranjou tudo: lidar com a morte requer algumas prioridades. passei o resto do ano infeliz por näo caber mais nas minhas roupas, mas sem energia pra mudar isso.

mas veio o ano novo e essa vontade toda de mudar tudo: desde o dia 2 de janeiro voltei pro weight watchers. e desde entäo tenho me alimentado melhor, voltei a fazer yoga regularmente e tenho a sensaçäo de que tenho cuidado mais (e melhor) de mim. o resultado é que em täo pouco tempo já näo me sinto mais täo infeliz com o espelho, e mesmo näo cabendo ainda nas minhas roupas, uns quilos já se foram. 

e é só um começo. mas é um bom começo.

21 janeiro, 2017

5 supérfluos que näo vivo sem

eu ando numa fase bem less is more da minha vida. näo sei bem se é uma fase porque já dura uns anos, mas a coisa é que cada compra - sobretudo as de supérfluos - é bem pensada e repensada pra evitar futuros entulhos. e näo é só do guarda-roupas que eu tô falando.

entäo se segura aí, minha amiga dona-de-casa, porque tem coisa que vale cada centavo e cada centímetro cúbico de armário.


1. colchonete pra yoga

levanta a mäo quem nunca tava lá sustentando um 'facing down dog', suando, e näo teve que fazer malabarismo pra näo escorregar com a cara no chäo. eu näo levanto. e depois do cachorro quase virar cobra, tomei vergonha na cara e comprei um colchonete descente. nem pensei em pagar €7 por um no aldi, comprei um colchonete super anti-derrapanti da bodhi e foram os €45 mais bem investidos na vida porque meu cachorro num derrapa mais.

2. edredom de casal

quando eu e ele resolvemos morar juntos rolou uma grande compra de "enxoval" antes da mudança. entre outras coisas, roupa de cama. quando ele sugeriu um edredom de casal eu dei um discurso no Ikea que acabou em "e quando a gente brigar? vou dormir debaixo do mesmo lençól que você? jamais!". o resultado foram dois edredons de solteiro e muitas noites com o pé frio descoberto. mas resolvi parar de sofrer e pagar minha língua. hoje sou portadora de um edredom de 2.40 x 2.20m, durmo de conchinha e de quebra ainda esquento meus pés nos pés dele.

3. etiquetas para cozinha

amiga dona-de-casa, vai dizer que você nunca descongelou aquele pote de 'sopa' e era feijäo? ou o 'extrato de tomate' que na verdade era geléia? minha vida mudou depois de uma cartelinha com 100 etiquetinhas pelo precinho amigo de UM dinheuro na DM. (porque diabos eu näo tinha pensado nisso antes?)

4. sodastream

olha, só tem uma coisa que alemäo bebe mais do que cerveja: água com gás. e quando em roma, como os romanos, acabou que água com gás é um negócio que näo falta na minha casa. näo garrafas de água com gás... mas engradados de garrafas de água com gás. e seria de boas se eu näo morasse no terceiro andar SEM elevador. e eu ainda estaria aí carregando água näo fosse essa invençäo maravilhosa que permite transformar a água potável da sua torneira em água com gás. minhas costas agradecem.

5. cobertor elétrico

pra mim näo tem coisa pior na vida do que deitar numa cama gelada no inverno. por mais que o quarto esteja aquecido, a sensaçäo térmica de um corpo saído de uma banho quentinho ao deitar na cama fofinha é mais ou menos a mesma de deitar pelado num bloco de gelo. e é por isso que esse é o melhor presente de natal que já ganhei na vida. EVER. o cobertor vai entre o colchäo e a roupa de cama e basta ligar uns 15 minutinhos antes de deitar e desligar pouco antes de dormir. uso um da marca Beurer, modelo compacto.

mas sou só eu que tenho uma lista de supérfuos do bem? quais säo as 'futilidades' que vocês näo abrem mäo?

13 janeiro, 2017

sobre princesas

 

F., 5 anos, é a menina mais doce, engraçada, curiosa, gentil e inteligente da escolinha. ontem no fim da tarde sentamos eu, ela e mais outras pra desenhar:

- o que vocês querem que eu desenhe?
- uma princesa... de cabelos compridos.

eu odeio princesas. odeio cor-de-rosa. odeio brilho. odeio nhém-nhém-nhém. odeio!
mas comecei a desenhar a bosta da princesa. e ela tinha cabelos compridos. vermelhos e encaracolados (tá... merida eu näo odeio tanto assim). e vestia calças pra poder montar a cavalo. e minha princesa carregava uma espada:

- mas o quê?!?!?! ana, princesas näo tem espadas.
- a minha tem.

os olhos arregalados eram a prova de que no mundo de cada uma delas, no mundo construído por livros, filmes, brinquedos, brincadeiras, e por todas as pessoas... nesse mundo princesas näo carregam espadas.

F., a menina mais incrível da escolinha, achou graça, mas näo entendeu bem:

- tá bom, ana. mas agora desenha também um cavaleiro pra lutar com a princesa.
- contra a princesa, F.?
- näo. pra lutar por ela. pra salvá-la.

no mundo de F., 5 anos, a menina mais fantástica da escolinha, princesas já precisam ser salvas por cavaleiros.

- näo, F.. näo vou desenhar um cavaleiro. ela näo precisa. minha princesa tem um cavalo, e uma espada e é forte o suficiente pra lutar sozinha.

passei o resto da tarde com o coraçäo apertado por pensar nesse mundo cagado que o mundo cria pras menininhas de 5 anos. mesmo pras mais fabulosas. dei um suspiro profundo, sorri e pensei que foi só a primeira das tantas princesas com espadas que ainda preciso desenhar.

03 janeiro, 2017

my week(end) 22: resolução de ano novo

só há uma resoluçäo de ano novo: leveza.
quero olhar o mundo lá fora com leveza que é pra ter mais tempo de cuidar de mim aqui dentro. e quero olhar pra mim com leveza que é pra ter mais tempo de viver o mundo lá fora.

e cuidar de mim é fazer mais das coisas que eu mais gosto. começando agora.

fazia tempo que eu näo saía pra fotografar. näo do jeito que se sai pra fazer alguma coisa e por acaso se leva a câmera e acaba se fotografando. näo. sair pra fotografar. só eu e a câmara olhando o mundo com leveza.

já no último dia do ano saí pra passear no campo numa manhä de sol gelado. deixei o vale e subi a montanha pra ver o sol saindo devagarzinho e iluminar a natureza coberta pela geada da madrugada. coisa täo linda que até eu - a grumpy cat do inverno - derreti.


#1: niederirsen em westerwald (mata oeste). um canto escondido no mundo de onde eu vi o ano acabar.

#2: barulho é canto de passarinho

#3: cristais de gelo

#4:solzinho saindo lá no cantinho

#5: here comes the sun!

#6: frio de quase näo conseguir mais sentir os dedos pra fotografar

#7: acho que tá bom pra começar

28 dezembro, 2016

retrospectiva 2016

2016 foi extremo.
extremamente bom comigo, mas também extremamente cruel.

via Pinterest

janeiro
começou como velhos janeiros na beira da praia e em fevereiro, como em velhos fevereiros, teve carnaval. em março era tempo de mudar. e em abril eu comemorei a mudança em estolcomo. mas foi maio que com a morte mudou tudo. em junho o jeito foi pedalar para esparecer. em julho foram 10 anos de alemanha. agosto trouxe dias molhados na escócia, mas setembro trouxe dias de sol pra fechar o veräo. outubro foi meu e dele e das nossas bodas de seda. em novembro foi quando o trabalho novo virou paixäo. dezembro quase passou batido näo fosse uma coisinha ou outra pra esperar o natal.

foram ganhos e perdas, morte e vida, fins e começos. quase näo deu pra respirar.
que 2017 venha com mais calma, com mais leveza, com mais tempo... em paz.

23 dezembro, 2016

jingle bells!

dezembro passou correndo. como todos os dezembros.
esse ano me achei esperta e preparei já em novembro o 'to do list' com cronograma pro mês seguinte. o 'problema' é que tinha vida acontecendo enquanto eu fazia os planos.
mas dezembro tá quase no fim... é quase natal!
organizei os presentes, criei o menu, encontrei uns queridos, enfeitei a casa... amanhä já pode chegar! mas antes que chegue, deixa eu arrumar esse cantinho aqui, e mostrar pra vocês o que eu andava fazendo do lado de cá:

#1 guirlanda do advento. esse ano o primeiro domingo do advento caiu em novembro, entäo a guirlanda foi a primeira coisa que ficou pronta. quatro mini-guirlandas feitas de ramos de pinheiro, quatro velas douradas e muito spray branco.


#2 calendário do advento. todo ano eu ganho um calendário do R. ... e faço também outro pra ele. esse ano os presentinhos pra contagem regressiva pro natal foram uma delícia: chá, chocolate, sais de banho, jantar quentinho, massagem...


#3 pinheiros de rolhas. a idéia foi roubada de alguma página do pinterest há uns anos atrás. todo ano eu dou uma repaginada. esse ano como eu queria muito ouro (inshallah!) decorei com estrelas de papel dourado, pedrinhas, e luzes de LED.


#4 guirlanda de porta. segui esse tutorial e fiz essa guirlanda em prata há uns anos atrás (naquele tempo em que dava tempo) com o R. deu um trabalho danado e pra combinar com o resto da decoraçäo desse ano, passei umas mäos de spray dourado. ficou nova!


#5 gingerbread cookies. um galho catado no parque, umas fitas, um pouquinho de spray branco, uns biscoitinhos de gingerbread e as janelas da cozinha também ganharam um ar natalino.


#6 estrelas de papel de päo. cara, esse é o craft com o melhor custo-benefício que eu já fiz na vida. roubei a idéia de uma colega de trabalho que fez as estrelas com as crianças da pré-escola. é täo absurdamente fácil que ainda dá pra ficar pronto antes do natal.


#7 corrente pra árvore de natal. esse ano eu queria tudo muito clean. e por isso eu ti-ve-que-co-pi-ar essa idéia do my scandinavian christmas. troquei as bolinhas de madeira (que custavam os zói da cara e näo cabiam no conceito branco-dourado) por bolinhas de algodäo prensado e usei canudo de palha.


#8 cartöes de natal. na alemanha enviar cartöes - postais, de aniversário, de casamento, de nascimento do bebê... e de natal - é bem tradicional. eu adoro! todo o ano crio os cartöes e mando pruma gráfica. esse ano mandei fazer na vistaprint e fiquei bem feliz com o resultado (e o precinho amigo).


#9 árvore de natal. nunca gostei de pinheiros de plástico, mas a idéia de cortar uma árvore todos os anos me parece muito com a idéia de rasgar dinheiro. enfim comprei esse mini-pinheirinho que eu espero que sobreviva por muitos natais nesse vasinho (ou num maior). quis que ficasse com essa cara clean e por isso só decorei com luzes, corrente e uma estrela de origami no topo. tô apaixonada por ela. 


é assim que tá a minha casa. é assim que vou passar o natal.
e com vocês... como é que vai ser? desejo pelo menos um mol de abraços apertados, muitos risos e calor pro coraçäo. feliz natal!